terça-feira, 29 de junho de 2010

Teu Ser




Teu ser, luz tênue, tem um ”que” de pueril.
Singelo qual ave passeando o céu anil.
Qual brisa afagando, da Mãe-Terra, a face.
E noite brindando com o luar em um enlace.

Tu inspiras a pena do poeta a dançar
Teu sorriso, de tão belo,
Faz minha’alma alcançar,
paisagens fabulosas,
instigantes rincões,
onde nascem estrofes,
mar de inspirações.
Pois cantar é ir além!
É bruma que vai ao léu.
Flutuar e ficar mais perto do céu.
Viver a torrente de sentimentos
e beber de grande arrebatamento.

Anderson Lobo
(aprendiz de domador de palavras)



quarta-feira, 23 de junho de 2010

Mar

O mar amanheceu cinza.
O poeta sentiu.
Em seu âmago, sal.
Divagava sua mente.
Imenso lago feito a partir do pranto do mundo.

Ah! navegante de mar infindo!
Tristeza, mar profundo
e a felicidade, porto.

Avante, timoneiro!
Antes que a tormenta chegue.

Anderson Lobo
(aspirante a poeta, cantor da noite e sonhador nas horas vagas)

domingo, 20 de junho de 2010

Lobo

foto de autor desconhecido


Era um domingo
de melancolia.
O telefone sempre calado
e sons de vozes em casas velhas.
A noite lançava seus tentáculos por todos os lados.
Mas havia verbo!
No peito havia vida.
O cérebro pedia alimento,
ávido por poesia.
Sim, havia bem mais que uma TV
e sua solidão embutida.

Oh pena!
Salve mais um dia de poesia!

Anderson Lobo
(aspirante a poeta, cantor da noite e errante nas horas vagas)