segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Tempo de luz


Houve certo lume.
Multicolor, a invadir almas.
E, noite bela, houve milagre.
Nascimento
de grande esperança.

Foi canção.
Coro, em uníssono,
a entoar ode
à humanidade.
Seres benévolos
em movimentos celestes.
Foi sagrada dança.

Assim, foi divino.
Deu-se em sonho.
Além, foi sublime.
Foi lampejo do que poderia ser somente luz.
Céu salpicado de boa vontade,
foi tempo de bem-aventurança.

Anderson Lobo
(pescador de estrelas domador de palavras e cantador nas horas vagas)

2 comentários :

  1. Dizem,alguns, que o orgulho é um sentimento ruim, depende!Após le-lo e sentir sua essencia, me vi incapaz de decifrar meu velho amigo de infancia.(Mas me orgulho muito disso). Rafaela Viana

    ResponderExcluir
  2. Que maravilha de poesia. Tens muita sensibilidade e criatividade com as palavras. Adorei conhecer um pouco de teu trabalho. Um grande abraço.

    ResponderExcluir