terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Revolução




A revolução virá.
Virá da utopia dos loucos.
Virá da força contida dos povos.
Dos oprimidos
despertos do sono do comodismo.
Virá por parte dos humildes,
das mãos calejadas
e dos puros corações!

A revolução soará contra os déspotas!
Surgirá dos resquícios das senzalas.
Virá dos gritos dos mortos,
infalível,
como a mais letal das vidas.

A revolução será profana!
Contra os ditames e dogmas!
Varrerá preconceitos,
rugindo aos moradores das redomas.
Afrontando a hipocrisia dos caducos
e dos coronéis,
velhos e cansados.

A revolução será vendaval,
revirando as sólidas estruturas dos arranha-céus.
Fazendo do que é sólido, pó.
Erigindo novo tempo.
Conclamando os homens a serem, enfim,
humanos.

Anderson Lobo
(pescador de estrelas, domador de palavras e alquimista nas horas vagas)

3 comentários :

  1. Revoluções libertaram, aprisionaram, revelaram... Mudaram conceitos e histórias que pareciam imutáveis.
    fato, que pra sermos grandes revolucionários,
    só nos falta coragem. O querer assumir o papel do que realmente se é.
    Grande pensamento, raro!
    Abraço na alma!

    ResponderExcluir