terça-feira, 3 de maio de 2011

Lua (Para Luanda, por quem meu coração pulsa com sabor)


arte: Anderson Lobo


Lua, aos poetas e trovas, afeita.
Pulsando em cosmos, fulgente clarão.
Linda e além, forma onírica e perfeita
Ente sensual, santa inspiração.

Lua, como um servo à noite fiel
Canto teu ser na viva imensa treva.
Sobre montanha, uivando ao léu.
Contemplando teu corpo, negro de Eva.

Sê, Lua boa, dragão e astronauta.
Nua, sê aura a guiar o errante.
Teu enlevo, canção, que o bardo exalta.

Teu colo, reduto calmo ao infante.
E quando do dia, teu brilho falta,
Sê sonho terno na mente do amante.

Anderson Lobo
(apaixonado e ponto)


Um comentário :